segunda-feira, 29 de julho de 2013

Viajante Convidado: Gresiela - Barcelona - Parte I

A @Gresiela é uma amiga virtual, que conheci no Instagram e o Instagramopolis. Temos amigos em comuns e  já tomamos um café na vida real :). 
A Gresiela Nunes da Rosa é psicanalista, casada com o Rodrigo Corrêa, e mãe do Giordano. Esta divertida família vive em Tubarão, Santa Catarina. Eles sempre compartilham imagens lindas pelo Instagram, sou fã principalmente das fotinhos de Jaguaruna, uma praia que está na memória de minha infância. Recomendo seguí-los no Instagram:

No início deste ano ela entrou em contato comigo pedindo dicas da região de Barcelona e Sul da França, na época passei alguns links, e durante a viagem numa fotinho do Instagram ocorreu a deixa, e agora Gresiela ela vai compartilhar aqui no Viajar e Pensar.

Nas próximas 4 semanas, teremos o prazer de acompanhar os relatos e lindas imagens da Viagem da Gresiela e de sua Família por Barcelona e Sul da França.


Iniciamos com este relato delicioso de Barcelona:

Na segunda quinzena de junho, eu, meu marido e nosso filho de 7 anos, fizemos uma linda viagem por um pedacinho da Europa. Estivemos em Barcelona por uma semana e depois, com um carro, passeamos pelo sul da França, com uma curta passagem por outra cidade espanhola, Girona. Vou contar um pouco do que foi esta experiência.
O que nos deu uma certa direção para o roteiro da viagem foi o fato de querer visitar um amigo que está morando em Barcelona. Então antes mesmo de decidir o plano de viagem, compramos as passagens de ida e volta para Barcelona. Depois vieram as perguntas... Quanto tempo ficaríamos em Barcelona? Onde mais poderíamos passear? As opções são infinitas. Mas minha ideia era que pudéssemos conhecer com um pouco mais de tempo uma grande cidade, que neste caso já havia sido escolhida e também que não houvesse mais trechos com avião. Não queria perder tempo na viagem com as chateações de aeroportos e aviões. Assim, estava decidido que não iríamos muito longe (o que no final das contas não foi bem assim).
Conhecer o sul da França era um desejo antigo. Passear pelo mediterrâneo, viajar de carro, deixar o roteiro semiaberto... assim foram se delineando as decisões da viagem.
Barcelona. Que cidade! Tudo que já tínhamos ouvido falar, tudo que já tínhamos lido, visto, nada pode ser comparado ao que é estar na cidade. Linda, viva, limpa, organizada, artística, imensa, cheia de opções, muitos mundos num só lugar. A cidade é uma verdadeira surpresa! A arquitetura da cidade é de se emocionar. É sem nenhuma dúvida uma cidade que cuida dos detalhes.

Já no primeiro dia compramos os bilhetes para usar os ônibus turísticos, que nos permitem conhecer por dois dias os principais pontos turísticos. Se pode descer e subir dos vários pontos da cidade. É uma excelente forma de ter uma noção da cidade, sobretudo, no que diz respeito ao aspecto turístico. Adoramos utilizar este serviço. Como estávamos bastante cansados no primeiro dia, nos deixamos levar pelo trajeto sem querer descer. O que de fato foi um certo desperdício do serviço. O legal mesmo é parar nos pontos, descer, conhecer e depois seguir adiante. Mas como tínhamos mais dias pela frente, aproveitamos o ônibus para poder passear e ao mesmo tempo descansar. E foi ótimo!


Nos seis dias que estivemos em Barcelona, conhecemos muitas coisas lindas. O que eu realmente mais gostei, (e meu marido também) além, é claro, do conjunto da obra que é a cidade em si, foi o Bairro Gótico. As ruelas, as construções góticas e romanas, e o clima do lugar são indescritivelmente emocionantes. É lindo mesmo. Tive a sensação de estar dentro da história. E além do que se podia ver, ainda tinha o que se podia ouvir. A cada rua, praça, esquina, havia alguém tocando num instrumento músicas clássicas. Inclusive na Catedral de Barcelona, quando entramos para conhecê-la, havia uma música que era de arrebatar! Isso criava um verdadeiro clima no lugar. Foi para mim um dos pontos altos da viagem.


 
Fomos à Sagrada Família, que é mesmo um Monumento, com M maiúsculo. Ela se sobressai na cidade, é gigante, colossal. Além do tamanho, também impressiona pelos detalhes. A arquitetura de Galdi é repleta de detalhes. Não me arrisco a falar muito sobre isso, porque não entendo, mas a impressão pessoal é que nunca acabamos de ver a obra, que ela não se deixa apreender, porque são muitos e muitos detalhes. Além do fato, é claro, de a Sagrada Família ser uma obra inacabada, que segue em construção até hoje, e pensa-se que seguirá assim ainda por muitos anos.
Subimos a torre da igreja (a subida é de elevador), e foi bem bonita a vista da cidade lá de cima, mas para descer (que é pela escada) foi assustador. Uma escadinha caracol, com aquele buraco no meio me deu o maior medo e ainda por cima, ficava preocupada com meu filho que seguia na minha frente. Havia que confiar que tudo daria certo!

Uma dica para quem vai conhecer esta igreja é comprar os bilhetes pela internet. Isso poupa uma fila quilométrica e muito tempo, que, claro, não queremos perder numa viagem.

Conhecemos também o Parc Güell. Outra construção de Galdi. Mais uma vez a sensação era de que obra não acabava de nos surpreender pelos detalhes.


Noutra região da cidade, visitamos o Monte Montjüic, que é lindo por si só, e ainda é o melhor lugar para ter a vista panorâmica da cidade toda. Estão lá também canhões utilizados na Primeira Guerra.






A Casa Pueblo, uma pequena vila com diversas casas representando a arquitetura da Espanha. Cada esquina uma surpresa, e a impressão de estar em outro lugar.
Já em outro lado da cidade, caminhar pela Barceloneta foi uma delícia. O calçadão cheio de artistas circenses e o mar ao lado dá um ar muito diferente do que tivemos no Bairro Gótico. E pegamos até um carnaval! Impressionante como há muitas cidades dentro de Barcelona.
Uma viagem à Barcelona pede a tal caminhada na Rambla. É simpática, agitada. Caminhamos um pouco e por ali almoçamos uma paella.
Apllemaníacos que somos, os três, é claro que também fomos fazer turismo na Apple Store. Se estivesse em outra cidade, talvez não desse tanta importância à arquitetura da loja. Não, é claro que daria! A loja é assim, uma anti-Galdi. A escada de vidro, as mesas, as placas. Tudo muito asséptico.
















O Mercado de la Boqueria! Acho que essa foi a segunda coisa que eu mais gostei em Barcelona. Lindo, muitas cores, cheiros, sabores. Deu vontade de experimentar tudo!









Tínhamos conosco um menino de 7 anos, e mesmo que ele tenha sido um grande parceiro em todos os passeios, super animado e curioso, alguns passeios foram programados especificamente para agradá-lo, ainda que também tenhamos nos agradado junto. Fomos no Aquário e no ZOO.


Algumas dicas de Restaurantes e destaques gastronômicos de Barcelona:

No Bairro Gótico o destaque ficou para o sorvete. Unh... que delícia! Todos caímos de amores por ele.










4Gats é um restaurante de 1897. Picasso, em 1899, aos 17 anos, fez sua primeira exposição nele. Uma das cenas do filme “Vick Cristina Barcelona”, de Wood Allen é gravada neste restaurante. A comida é muito boa, mas estes detalhes da história e a música agradabilíssima é que fizeram do lugar algo especial para mim. www.4gats.com
 
Les Caracoles, de 1835. Aqui em casa há controvérsias sobre esse restaurante. Acontece que meu marido não passou muito bem depois da comida, então, ele odiou o restaurante. Mas eu adorei! Gostei da comida, que foi caracóis com coelho, mas o que mais gostei foi do clima. Na entrada, parecia que estávamos numa taberna, passamos pela cozinha, até que chegamos à mesa. Muito bonito, com muito estilo. www.loscaracoles.es


Este é só o começo, continua ...

Um comentário:

  1. Tô mais que atrasada com as leituras! Só hoje comecei a ler a série da Gresiela... e tô adorando!
    Parabéns para o blogueiro e para a convidada.

    ResponderExcluir