segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Transiberiana - Antes de embarcar estude a Rússia

Uma visita à Rússia não pode ser vista como uma viagem à extinta União Soviética, o passado recente comunista não é algo que os russos de hoje tenham orgulho ou gostem de mostrar. A vida nas cidades russas é muito semelhante a de qualquer aglomeração urbana no Ocidente. Há fast foods, publicidade por todos os lados e carros das principais montadoras internacionais (Hyundai, BMW, Audi, Mercedes etc) - bem como muitos Ladas perdidos no meio do trânsito. Moscou impressiona pelo seu luxo (sustentado pela maior concentração de bilionários do mundo!!!), dinamismo e diversidade.


Acredito que quem planeja uma viagem pela Transiberiana não está atrás dessa Rússia moderna e luxosa, mas sim de uma viagem no tempo pela observação de cidades isoladas que estão literalmente no meio do nada; de histórias do passado recente; e de um povo guerreiro que conquistou vasto território (1/6 da massa terrestre global!!). Recomendo estudar a história do povo russo e aprender como eles conseguiram conquistar e manter este enorme território; a  geografia e os seus efeitos sobre os costumes locais; os heróis nacionais; e os símbolos das cidades visitadas.



Importante saber que a Rússia é um país de vários povos. O russo tradicional, o eslavo, aquele de cabelos loiros e rodeado de belas mulheres,  possui origem nos povos que habitavam o norte do Mar Negro, hoje Ucrânia. Na sua expansão em direção ao extremo oriente, os russos contaram com a ajuda dos cossacos, os eslavos da fronteira que bravamente foram colonizando e conquistando terras que até hoje pertencem à Federação da Rússia. Trilhando o caminho até a porção mais oriental do país, a maioria eslava vai dividindo o território com povos de olhos puxados, como mongóis, buriáticos (você já ouviu falar neles?), chineses, entre outros, mas todos já considerados russos.

Os Czares ou Tzares, como eram conhecidos os imperadores russos, passaram a governar o país a partir do século XVI, sendo o clã Romanov a família dominante. Pedro, o Grande, governou e modernizou a Rússia entre os anos de 1682 e 1725. Uma das maiores realizações de Pedro foi a mudança da capital de Moscou para a então recém-construída São Petersburgo, uma cidade planejada e desenhada para ter os ares de Paris (arquitetura) com o charme de Veneza (canais). Nicolau II foi o último Czar russo, tendo sido ele e toda sua família assassinados em 1918, em Ecaterimburgo, pelos revolucionários comunistas. No lugar onde a família imperial foi morta, há hoje uma Catedral.
Na Sibéria, é importante estudar quem foram os "decembristas", que, exilados da parte européia russa após fracassada tentativa de assassinar o Czar Nicolau I (1825), estabeleceram-se em sua maioria na cidade de Irkutsk. Muitos de nós somente sabemos que Vladivostok é a base para invadir o Alasca no jogo War. A verdade é que Vladivostok é muito mais, inclusive a sua localização real é estratégica por outros motivos, em especial pela sua proximidade com China, Japão e Coréias, bem como pelo seu porto no Oceano Pacífico de águas perenes.

 

Você está planejando visitar a Rússia e viajar pelo trilhos da Transiberiana??? A dica é começar a estudar a história e a geografia desse imenso país. Boa viagem!!!

Sugestões de Leitura:

O Guia Lonely Planet :  Trans-Siberian Railway, é o não saia de casa sem ele. Indispensável, boas dicas e com muitas explicações históricas dos pontos a serem visitados. Muitos dos fatos históricos importantes estão explicados com a devida atenção. Pode ser comprado o .pdf direto no site: 
www.shop.lonelyplanet.com/trans-siberian-railway

O Ressurgimento da Grande Potência, livro do catarinense e atual Embaixador do Brasil na Coréia do Norte Roberto Colin. Relata o panorama das transformações ocorridas na Rússia nos últimos anos. Importante para entender a situação econômica e política da Rússia.




O Aleph do Paulo Coelho, é  um romance que se passa na viagem que o autor fez nos trilhos da transiberiana. Gostei é bastante inspirador, tem fatos interessantes sobre a viagem no trem transiberiano. 



Minhas principais fontes de pesquisa iniciavam pelo Google, seguia principalmente pela Wikipedia e Wikitravel ,ambos na versão em Inglês. Infelizmente, em português são poucas fontes, ou quando encontrado o conteúdo é escasso e fraco. Minha rotina de pesquisas iniciavam com o nome de uma cidade que iríamos parar, ia linkando a um General/Personalidade, voltava para uma região e ia me informando.
 
Ecaterimburgo www.ekaterinburg.com/city/history 

Novosibirsk www.novosibirskguide.com 

Irkutsk www.irkutsk.org/history.html 

Ulan-Ude www.wikitravel.org/ulan_Ude

Khabarovsk www.wikitravel.org/Khabarovsk

Vladivostok www.wikitravel.org/Vladivostok

Para todos os destinos na Rússia pesquise no: www.waytorussia.net


14 comentários:

  1. Legal! Aliás, que bom seria se os viajantes em geral fizessem isso antes de ir para qualquer destino, né? Uma pena como hoje, na maioria das vezes, o pessoal não se informa mais sobre o local para onde viaja....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Mari,

      Já vi até que gerou frutos meu post.

      Obrigadão

      Excluir
  2. Ótimo conselho! E vale não só para a Rússia, mas para todos os países que visitamos. Conhecer mais sobre a história do lugar e entender os caminhos percorridos pelo povo tornam qualquer viagem mais rica. Eu sou apaixonada pela história russa, mas confesso que minha versão dela é meio romanceada, pois deriva principalmente da literatura russa. E tem forma mais gostosa de aprender? ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila

      Na literatura moderna Russa infelizmente não li nenhum livro sobre a rota transiberian. Um dos livros modernos que rendeu filme, é totalmente triller policial, fora da realidade da viagem.
      Também viajo bastante com os livros.
      Valeu!!

      Excluir
  3. Uma das melhores partes da viagem é o estudo do destino. Amo fazer isso. Fico loucão com as coisas que descubro. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Gabe,

      Para esta viagem tive que aprender bastante sobre a história e vida do povo Russo.
      Uma história muito rica de fatios e que nos deixa muito curioso sobre como não sabemos nada dos companheiros.

      Valeu pela audiência!!!

      Excluir
  4. Aí! Boa pedida! Como já disseram acima: é dever de todo viajante. Nada melhor do que chegar com uma bagagem... de conhecimento, claro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carmem
      Encher a bagagem de conhecimento é a única que não cobra excesso de bagagem, kkk
      :)

      Excluir
  5. Também acho importantíssimo estudar o destino pra onde viajamos. Especialmente num caso assim, no qual o país é nosso quase total desconhecido. Até tu, Paulo Coelho? :-p

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu,
      Sim o desconhecimento da história Russa e a falta de alfabetização em Cirilico é um grave problema.

      Vai por mim: O Aleph, do Paulo Coelho li e recomendo.

      :)

      Excluir
  6. Concordo! Acho que a viagem já tem que vir estudada lá trás, as vezes antes mesmo de virar uma viagem na nossa cabeça. Afinal, não tem nada mais gostoso do que conhecer, ao vivo e a cores, um destino do qual já ouvimos falar tanto. A gente vê as coisas com outros olhos, e a viagem, mais do que nos olhos, também acontece na cabeça!

    E, particularmente, tenho certos sonhos secretos em conhecer à transiberiana. Primeiro por um documentário que vi, depois pela literatura, depois por posts aqui e ali falando dessa viagem, dos seus povos...
    Sei lá, sei que tá muito na listinha. E por isso, tô aqui acompanhando seus relatos de perto!

    PS: Confesso que também li o Alquimista de Paulo Coelho antes de ir ao Egito. Sério.

    ResponderExcluir
  7. Oi Clarissa

    Sinceramente, com as transformações que ocorrem na Rússia, a transiberiana se transformará numa viagem bem possível, e sou suspeito mas voltei admirado com muitas das coisas que vi.
    Paulo Coelho é tem polêmico, mas valeu o O Aleph é bem legal.

    Valeu!!!

    ResponderExcluir
  8. Gustavo, é muito caro viajar pelas transiberiana? Você tem o orçamento de mais ou menos quanto vc gastou? Considere uma viagem para mochileiro, com hostel e opções de alimentações mais em conta. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiz

      O quanto gastar na Transiberiana? Depende:
      * da quantidade de paradas
      * consegue hospedagem individual na faixa de 30-50 dólares dia
      * gasta +- 100-200 dólares o trecho em cabine, se você for mais aventureiro consegue gastar menos em passagem indo na terceira classe.
      Por aí vai a refeiçaõ o custo é semelhante ao do Brasil uns 20 reais por refeição.
      Espero ter ajudado.
      @GusBelli

      Excluir