quarta-feira, 23 de julho de 2014

Limite de bagagem dos voos da Aerolineas Argentina

Em minha última viagem pela Argentina, a convite da Wines of Argentina, chamou minha atenção o limite de bagagem praticado nos voos internos pela Aerolineas Argentina. A companhia Argentina tem um limite de bagagem despachada para voos internos de 15 kg e de 20 kg  para o Brasil. Esta pode ser uma grande dor de cabeça ou causar um prejuízo na volta carregado de vinhos na mala de Mendoza. Para minha sorte voltei de Mendoza para Buenos Aires utilizamos a LAN Argentina, que pratica a franquia de 23kg despachados. 

A dica para quem está indo para Mendoza é dar preferência aos voos da LAN Argentina, para poder transportar algumas garrafas a mais do líquido de Baco. Outra dica é que a Aerolineas e as outras companhias aéreas na Argentina fazem uma exceção para voar com líquidos, elas permitem nos voos internos e para o Brasil transportar 3 garrafas como bagagem de mão.

Dúvidas sobre limites de bagagem? Leia mais:

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Rússia 2018: minhas dicas

A Rússia é o próximo destino do mundo do Futebol, em breve a ressaca da Copa no Brasil passará e todas as equipes iniciarão a disputas por uma vaga na Copa do Mundo Fifa de 2018, que será em território dos Czares ou a poderosa Ex-URSS.
Eu tive a oportunidade de visitar a Rússia duas vezes e conhecer um pouco deste vasto país. Numa das oportunidades atravessei os 7 fusos horários do país com o Trem Transiberiano. Apesar de ter atravessado o país de Oeste para Leste, visitei somente três das oito cidades sedes da Copa de 2018 passei por: Moscou, São Petersburgo e Ecaterimburgo. As outras 5 cidades sedes serão Kazan, Sochi, Kaliningrado, Nínji Novgorod, Rostov Don, Samara e Sarank.

Todas cidades sedes como podem ver no mapa estão na Rússia Européia, as regiões ou repúblicas orientais da Rússia não participarão do Mundial. O limite oriental das sedes será Ecaterimburgo a cidade que esta próxima ao Montes Urais, a fronteira geográfica entre a Europa e a Ásia. 
Catedral do Sangue em Ecaterimburgo
O que posso dizer aos que se preparam para assistir ao mundial na Rússia e que realmente se preparem, é um destino fascinante e encantador, um povo de lindas mulheres e cidades que misturam um beleza com um lado enigmático do período soviético. Um dificuldade será a comunicação com os russos, podíamos ter uma série de defeitos sediando uma Copa no Brasil, mas a comunicação em Português é algo fácil comparado ao Russo e o alfabeto Cirílico. Nos principais pontos e locais de destino aos turistas na Rússia hoje já estão preparados com letreiros em Inglês, mas saindo deste pontos a maioria está escrito em cirílico somente. Além disto, o Russo não é um povo receptivo é um povo mais fechado, lembro que ficaram isolados do mundo por mais de 50 anos, mas isto é algo do passado, e vem sendo modificado nos últimos anos, que provavelmente até 2018 sofrerá muitas transformações.
Museu Hermitage em São Petersburgo

AeroExpress no Aeroporto de Domodedovo
Na questão transporte os russos estarão e já estão muito melhores servidos do que o Brasil, Moscou é uma cidade com 3 grandes aeroportos, sendo que dois Internacionais de grande porte. Todos os aeroportos de Moscou possuem ligação com o centro da cidade através de trens, o AeroExpress. Quando estive em 2012 em Ecaterimburgo o seu aeroporto já estava em reforma para o Mundial, então acredito que as transformações serão gerais, mas suas instalações eram razoáveis.
Estação Moscovita de Metro
O Metro de Moscou e São Petersburgo são famosos pela beleza das estações e o alcance, acredito que nas outras cidades se não possuir Metro, estarão servidas por Trens de superfície que são bem comuns por toda a Rússia. 
Trem de superfície em Ecaterimburgo
A companhia Russa de trem está prometendo modernizações, aumentando a cobertura do trem rápido Sapsan, que liga Moscou a São Petersburgo para outras cidades também. Tenho um post explicando como usar estes serviços de trem entre Moscou e São Petersburgo, que indico a leitura: www.viajarepensar.blogspot.com.br/trem-entre-moscou-e-sao-petersburgo.html
Estação de Trem em São Petersburgo
As principais redes Hoteleiras do mundo já estão na Rússia, mas a promessa é de mais investimentos. Os hotéis na Rússia geralmente não são baratos, existe uma promessa do comitê local da Copa controlar o abuso de preço durante o evento, para não se repetir o que aconteceu aqui no Brasil. Tive a experiência de me hospedar em antigos edifícios comunistas a grandes redes de hotéis, a sugestão e pesquisar e tentar sempre um hotel bem bem localizado ou próximo a uma grande estação de metro.

Igreja de São Basílio Moscou
A culinária Russa é muito boa, e sem grandes esquisitices, se come muito arroz, pães e batatas. Sopas são o forte da culinária russa, mas a copa é no verão. Não deixe de provar o Strogonoff, o mais famoso prato russo. Tenho também um post com as minhas sugestões na culinária Russa: www.viajarepensar.blogspot.com.br/strogonoff-e-outras-delicias-na-russia.html

Aos fãs das cervejas, a Piva como deve ser pedida lá são boas e de fácil paladar, vendem muitas do tipo Pilsen. As vodkas dispensam comentários.

Está se preparando para encarar a Copa na Rússia? Leia também:

Relatos sobre Ecaterimburgo: 

Quando visitar Moscou?

Minhas dicas para turistar por São Petersburgo:

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Minha seleção de vinhos Argentinos

Na primeira semana de junho tive a oportunidade de fazer um tour enogatrônomico pela Argentina, uma verdadeira MaraTOMA (Maratona de tomar vinhos), degustamos e bebemos vários vinhos produzidos pela mais diversas regiões da Argentina, além de visitarmos as bodegas em Mendoza e Neuquén. Nesta uma semana degustamos aproximadamente 200 vinhos, e em ritmo de Copa fiz minha seleção com os 21 vinhos de destaque.


Este tour foi um convite da Wines of Argentina, a associação que representa e divulga os vinhos Argentinos pelo mundo. 


Os argentinos como os brasileiros não possuem grande preferência por brancos, mas não por isso suas Bodegas não os tratam com grande cuidado. Os Torrontés são atualmente a uva que se faz um vinho branco honesto na Argentina e que vem fazendo barulho. Separei 5 vinhos brancos que provamos e me chamaram atenção:

  • Old Vineyard Riesling 2013, um vinho da região de rio Negro na Patagônia muito aromático, uma acidez bacana e que seria perfeito na beira da praia com um camarão.
  • Malma Sauvignon Blanc 2014 , um vinho de São Patrício do Chanar na Patagônia, com muita fruta no nariz, acidez bem marcante, me surpreendeu este SB, merece um sushi para acompanhá-lo.
  • Andeluna Torrontes 2013 a uva branca destaque não poderia ficar fora desta lista, aromas florais, mas sem excesso, na boca leve e fácil. Minha sugestão seria ele com uma boa salada de verdes e tomates, acho que como está equilibrado um sashimi seria perfeito também. 
  • Os dois Catena Chardonay produzidos no Adriana Vineards os : White Stones Chardonay 2010  e o White Bones Chardonay  2010 são vinhos a parte, incríveis, delicados e perfeitos. A oportunidade de beber estes dois vinhos juntos e perceber as diferenças deste vinhos de mesmo vinhedo mas de Terroir diferente foi sensacional. Não foi a toa que o Robert Parker os deu pontuação superior a 90 pontos. Pediu ostras com certeza. O grande problema destes vinhos são os valores, são vendidos no Brasil pela Mistral por mais de duzentos reais, o que dificulta.
Malbec é a primeira coisa que se pensa  em vinho Argentino, a uva  malbec é a grande estrela da vinicultura Argentina. Para minha surpresa além de bons Malbecs, degustamos vinhos excelentes de outras Cepas como Petit Verdot e Cabernet Franc. Gostei de muito do que provei, foram vinhos diferentes e com muita personalidade. Esta oportunidade de beber destes vinhos acompanhados por seu Enólogo responsável foi um diferencial.


  • El Enemigo Bonarda 2009 este vinho foi meu primeiro vinho em terras Argentinas, e marcou o início da semana de grandes vinhos.  A Bonnarda é outra uva que se adaptou muito em solos Argentinos. O El Enemigo foi o melhor Bonarda que já provei, aromas de fruta, compota de ameixa, caramelo. Uma explode de sabores na boca, taninos elegantes. Um vinho para tomar com um bom queijo duro, salgado.
  • Família Shroeder Pinot Malbec 2010 uvas do Vale do Chanar na Patagônia, produzido com a a Pinot o ícone da região e a Malbec o icone Argentino. Um vinho com personalidade,  mas que o Pinot arredondou a potência do Malbec. Pediu pizza.
  • Humberto Canale Gran Reserva Merlot 2011 , vinho desta bodega histórica produzido na região de rio Negro na Patagônia. Um Merlot Patagonico cheio de tipicidade, aromas de flores e na boca muito aveludado. Um vinho que harmoniza com uma culinária delicada.
  •  Pulenta Grand XI Cabernet Franc 2010 fantástico vinho, herbáceo, boca estruturada. Um vinho marcante e foi nosso primeiro vinho em Mendoza. Perfeito para uma culinária Italiana com muito tomate.
  • Ruca Malen Petit Verdot 2011  bela surpresa, um raro vinho de Petit Verdot, com certeza vale a pena provar e descobrir um pouco mais desta uva "exótica". Um vinho que se destaca na coloração púrpura intenso. Na boca muitos aromas diferentes, de frutas e torrados, tabaco. Na boca o primeiro gole é potência, mas depois se arredonda. Com certeza um vinho ideal para uma pegadinha numa degustação a cegas.
  • Nicolas Catena 2010 falar da Catena Zapata é chover no molhado, este blend de Cabernet Sauvignon com Malbec, consegue unir a elegância do Cabernet com a potência do Malbec. Muita fruta, pimentão e pimentas, boca média e taninos redondos. Idela para animar aquele bate pao de amigos, ele chama sempre mais um pouco.
  • Lamadrid Matilde 2007 um Malbec de vinhedos em  Agrelo, Lujan de Cuyo. Um vinho potente, frutas e madeira no nariz, uma boca que explode, taninos ricos e encorpado. Um vinho que pede carne e que representa a típicdade desta uva.
  • Don Miguel  2008 o vinho top da da Escorihuela Gáscon, outro exemplar da potência dos Malbec mendocino, super vinho. Bela sugestão para presentear aquele amigo que ama os Malbecs, ele lhe agradecerá com certeza. Frutas, tabaco uma boca super potente, vinho que evolui depois de aberto. Tive dois momentos com este vinho, o degustei formalmente, estava recém aberto, mas depois o provei junto na refeição, já estava aberto alguns minutos e estava fantástico.
  • Trapiche Terroir Jorge Miralles 2009 este foi com certeza o Malbec que mais me marcou, muito bom, potência e equilíbrio. Que vinho fantástico, deva estar em seu auge em alguns anos, está evoluindo ainda. Outro que pede assados típicos Argentinos.
  • Andeluna Pasionado Cabernet Franc 2008 vinho produzido com uvas do belo e alto vale de Uco. A Cabernet Franc se adaptou muito bem a altitude desta região. Um vinho muito herbáceo, uma boca astringente e que pede comida, massa. Com certeza um dos vinhos para degustar com calma.
  • Rutini Antologia XXXIV Pinot Noir 2010 um pinot de uvas de Mendoza, frutas e torrados no equilíbrio, com certeza apesar da fama dos Pinot da Patagônia, este foi o melhor Pinot provado nesta nossa Maratoma. Gostaria de harmonizá-lo com um bom Galeto.
  • Decero Amano 2010 um belo Blend, Amano significa feito a mão e é um vinho produzido com cuidado e delicadeza, sem arestas, um corte com estilo Velho Mundo. Neste corte utilizaram Malbec, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Tannat, na teoria todas uvas potentes, mas que unidas criaram um blend fantástico. Boca e nariz com muita estrutura e harmonia. Beberia este vinho sozinho, degustaria com calma.
  • B Crux 2009 produzido pela O. Fournier, foi o corte mais exótico da viagem, um blend de 50% Malbec, 35% Tempranillo e 15% Touringa Nacional. Muita personalidade neste vinho, bastante toques de tostado, um vinho diferente e que deve evoluir muito com os anos. 
  • Carmelo Patti Cabernet Sauvignon 2005 uma lista com 200 vinhos, não poderia passar sem um bom Cabernet Sauvignon. A Carmelo Patti seria os Tondonias da Argentina, um vinho que somente é vendido após alguns anos em garrafa. Na taça aromas torrados e morangos, um vinho evoluído. Tive a sorte de beber este vinho com um assado no alto da montanhas Mendocinas, o que poderia alterar minha impressão sobre ele, mas comprei uma garrafa e já o bebi em casa, é fantástico. Um bom assado é a harmonização local, mas um Filet au Poivre seria o ideal.

Além de vinhos tranquilos bebemos alguns espumantes bons, nenhum me chamou grande atenção. Porém dois vinhos de uvas de colheita tardia merecem um destaque, ambos deliciosos e que mostraram personalidade o Saurus Pinot Noir Tardio 2011 e Graffigna Tardio Malbec 2012 , infelizmente ambos produzem produção pequena e não estavam a venda nas bodegas.
 O Saurus Pinot tardio são vendidos na Decanter aqui no Brasil.

Conheça Neuquén, a região dos vinhos da Patagônia:

"Bebam com moderação e qualidade."

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Neuquén: Dinossauros e Vinhos

A região da Patagônia, no sul da Argentina, foi habitada a milhões de anos por grandes Dinossauros. Nos últimos anos próximo a cidade de Neuquén  grandes achados paleontológicos estão sendo realizados, como pegadas petrificadas e esqueletos quase completos de dinoussauros. Os vinhos da Patagônia estão em evolução e grandes projetos estão em desenvolvimento nesta região para a produção de vinhos de alta qualidade.
Vinhedos da NQN
Estive na região de Neuquén como convidado da Wine of Argentina, uma viagem para mostrar o potencial dos vinhos e do Enoturismo na Argentina. 
Hotel del Comahue
Neuquén foi a cidade escolhida para ser nossa base na Patagônia, chegamos de Buenos Aires voando com a LAN Argentina, um voo duração aproximada de duas horas. Ficamos hospedados no centro de Neuquén no Hotel del Comahue, um hotel simples e que precisa de melhorias.
Dique Ballester
Esta região do Sul da Argentina iniciou seu desenvolvimento econômico após a construção em 1884 do Dique Ballester, junto com o dique foram construídos um sistema de irrigação com mais de 100 km de canais, que permitiram o desenvolvimento da agricultura na região e o início de uma maior ocupação. Atualmente a economia desta região está em ebulição, além da produção de vinhos e frutas de alta qualidade, algumas descobertas de gás e petróleo estão agitando a região.  
Canais do Dique Ballester
Próximo a Neuquén está a região vinícola do Vale do São Patrício do Chanar, uma região com muitos vinhedos e modernas vinícolas ou bodega como são conhecidas na Argentina. Nossa primeira visita foi na bodega Segredo Patagônico, uma bodega nova, e que produz os vinhos da linha Mantra encontrados em alguns supermercados brasileiros, o Mantra Malbec merece atenção.

Bodega Família Shroeder
Depois da visita a Segredo Patagônico seguimos para a Bodega da Família Shroeder. Um ousado projeto que surgiu princípio dos anos 2000, atualmente produzem uma linha completa de vinhos com linhas de espumantes, brancos, tintos e vinhos de sobremesa. A família Shroeder produz a linha Saurus facilmente encontrados no Brasil, e também produzem a linha Alpataco encontrada aqui em Santa Catarina, na rede Angeloni de supermercados. 
Bodega da Família Shroeder
Esta é uma bodega é muito bonita e moderna, a sede da bodega emoldurada pelos vinhedos em bela harmonia. Um dos destaques desta construção foi o aproveitamento da inclinação do terreno, a inclinação gerou um fluxo para a produção do vinho, onde se dispensou o bombeamento dos vinhos durante as etapas.
O grande diferencial da Shroeder foi a descoberta de ossos de dinossauro durante a obra da construção da cava de armazenamento, e em homenagem a esta descoberta que seus vinhos ganharam o nome de Saurus e uma espécie de dinossauro foi batizada por eles.
Neuquén
Osso de Dinoussauro na Bodega Família Shroeder
Cordeiro Patagônico
Restaurante Saurus
O Restaurante Saurus em anexo a Bodega além de todo o visual dos vinhedos, apresenta um serviço impecável. Meu pedido foi o Cordeiro Patagônico, num ponto perfeito e que deixo de sugestão.
Bodega del Fin del Mundo
Linha de Produção da Bodega del Fin del Mundo
Na região do Vale do Chanar está localizada também as famosas Bodegas do Fin del Mundo e NQN, que fazem parte de mesmo grupo. Fizemos uma vista rápida a Fin del Mundo, em companhia de seu enólogo Marcelo Mira. A Fin de Mundo é a maior produtora de vinhos Pinot Noir da Argentina. Sua produção total hoje são quase 10 milhões de litros de vinhos entre tintos, brancos e espumantes. A bodega é uma grande linha de produção e um projeto fantástico quando lembramos que esta pequena gigante que iniciou suas atividades em 1999.
Bodega NQN no Vale São Patrício do Chanar, Patagônia
Entrada da NQN
Na NQN outra bodega do grupo com maior cuidados nos detalhes arquitetônicos, vistamos a bodegas e fomos degustar os vinhos da Fin del Mundo e NQN na bela sala de degustação. Apesar da grande produção serem os vinhos de Pinot, o meu destaque foi o Fin Cabernet Franc 2010, o Rosado de Malbec da Aeropostale e o branco da NQN Malma Sauvignon Blanc. Na NQN em anexo a bodega existe o Malma Resto Bar, um lugar bacana para degustar e apreciar os vinhos da NQN.
Sala de degustação da NQN
Humberto Canale
Na região do Vale do rio Negro fomos conhecer a histórica Bodega Humberto Canale, esta uma das precursoras da produção de vinhos de qualidade na região da Patagônia, eles produzem vinhos na região desde 1909. A bodega é diferente das novas e modernas vinícolas do Vale do Chanar, esta instalada num prédio histórico e com um ar realmente familiar. Muitos equipamentos e maquinas do passado hoje estão adornando a sede da Bodega.
Veículo e outros acessórios antigos enfeitam a Bodega Humberto Canale

Parrilla no fogo de chão
Em nossa visita além de degustar os vinhos da Bodega Humberto Canale fomos apreciados com uma fantástica Parrilla onde podemos apreciar os segredos gastronômicos da região sendo assados na brasa, e degustar os fantásticos vinhos da bodega. Minha grande surpresa com os vinhos da Humberto Canale foi um branco produzido de Riesiling e o tinto de Merlot, ambos elegantes e que merecem uma provados, mas o grande destaque da Huberto Canale são alguns Pinot de vinhedos com mais de 50 anos.
Como fomos num grupo para apreciar os vinhos e vinhedos, faltou a visita ao Museu Ernesto Bachmann, que possui um acervo da história dos Dinossauros desta região. Vá a Neuquén e não repita este erro e conheça esta fantástica coleção dos gigantes do passado. Deixo o link com as direções do Museu: www.neuquentur.gob.ar/museo-municipal-ernesto-bachmann-villa-el-chocon


Cave do La Toscana
Polenta branca com Ragú de Coelho
Outro destaque em Neuquén foi nosso jantar no La Toscana, um restaurante ou cantina Italiana com um cardápio que agradou a todos e que possui uma carta com muitos dos vinhos da região. Minha sugestão a Polenta Branca com Ragú de Coelho acompanhado do Cabernet Franc do Marcelo Miras.
Estradas da Patagônia no outono
A Patagônia com uma natureza diferente da que estamos acostumados aqui no Brasil. Fomos no outono e as temperaturas estavam bastante agradável, nenhum dia a temperatura ficou abaixo de zero. Uma das desvantagens desta época é que as videiras e outras arvores estão na maioria das vezes todas secas e sem folhas, deixando um clima bucólico a região, mas com sua beleza. A primavera na Patagônia com a florada das várias frutas e videiras deva ser o ponto alto da beleza na região.

Vinhedos da Segredo Patagônico
De Neuquén seguimos para Mendoza, e isto contarei num próximo post.

Links de Interesse:

Wine of Argentina www.winesofargentina.org
Orgão de Turismo da região de Neuquén www.neuquentur.gob.ar
Bodega Segredo Patagônico www.secretopatagonico.com
Bodega Familia Shroeder www.saurus.com.ar
Bodega del Fin del Mundo www.bodegadelfindelmundo.com
Bodega Humberto Canale www.bodegahcanale.com

Minha seleção de vinhos Argentinos:
www.viajarepensar.blogspot.com.br/minha-selecao-de-vinhos-argentinos.html

domingo, 15 de junho de 2014

Winebar nesta segunda 16 de Junho

Nesta segunda 16 de junho às 20 horas temos mais um Winebar, novamente com as novidades da Salton. Vou confidenciar que estou bastante curioso com os vinhos deste Winebar.
A Salton esta com este exótico espumante de uva Merlot o Espumante Intenso by Salton, será uma novidade para mim. Tive a oportunidade de provar Espumante de Malbec na Argentina, mas creio que este de Merlot será a primeira vez. Ele é produzido pelo método Tradicional de dupla fermentação.

Nosso segundo vinho será este o Salton Paradoxo Merlot 2012, a Salton trabalha muito bem com a uva Merlot. Este vinho passa por 6 meses em barrica de carvalho americano e francês o que deve o deixar domado.
O grande mistério da noite será o Salton Septimum, um vinho de corte produzido com 7 cepas de uvas: Tannat, Ancelota, Merlot, Cabernet Franc, Teroldego, Cabernet Sauvignon e Marcelan.


Não percam nesta segunda às 20 horas este Winebar:

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Ironman bom motivo para visitar Florianópolis em maio.

Maio talvez seja o mais mais agradável e gostos para curtir Florianópolis, a cidade tem uma cor linda no final de tarde e temperaturas amenas, mas que permitem a ida a praia nos dias de sol. As tainhas já estão chegando ao nosso litoral, com sorte é possível acompanhar a pescaria delas em algumas de nossas praias. Além das tainhas, a cidade recebem alguns dos maiores atletas do Ironmam mundial, para a etapa Brasileira do Ironmam, que classifica para o famoso Ironmam do Hawaii.
Nascer do Sol em Jurerê Internacional

Largada Ironmam Brasil
Tradicionalmente no último domingo do mês de maio Florianópolis recebe a etapa brasileira do Ironman, um triatlo onde 2000 participantes nadam 3800 metros, pedalam 180 Km e para finalizar correm 42,2 Km. Os atletas do Ironman são literalmente homens de ferro e completar a prova já é uma vitória para muitos. O mais incrível disto tudo foi que o atleta americano Timoty Odonnel ano passado completou a prova em 8 horas e um minuto, dá para acreditar?


Largada Ironmam Brasil
Na etapa de Florianópolis de 2013 após prometer vários anos que iria acordar cedo para acompanhar a largada na praia de Jurerê Internacional, consegui completar esta etapa, que foi sair da cama e chegar na praia antes da 7 da manhã. Jurerê é a base do Ironmam lá ocorre além da largada as trocas de natação para ciclismo, do ciclismo para a maratona e a chegada.


Florianópolis, Brasil
Início da natação do Ironmam Brasil

Início da natação do Ironmam Brasil
A largada é um espetáculo a parte, único momento possível de visualizar todos os participantes, porque depois da largada cada um segue seu ritmo. Além disto estar na praia e acompanhar o nascer do sol e com estes atletas entrando na água é um espetáculo impar.

Natação do Ironman em Florianópolis
O Ironman e o sol nascente

Após 45 minutos os primeiros atletas já estão saindo da água e a transição para o ciclismo é outra etapa que vale a pena aproveitar. ocorre um certo agito e momento de euforia, onde notasse a capacidade e preparo destes atletas, que mesmo após nadar 3800 metros, estão partindo para uma pedalada de 180km como se fosse algo tranquilo e fácil.
Ironman Brasil
Transição Natação Bicicleta


Durante o o dia vários atletas e suas famílias colorem o bairro, numa mistura das famílias motivando e o público que veio para acompanhar e incentivar também.




Chegada do Ironman Brasil
No final do dia retornei para acompanhar a chegada dos atletas, é uma euforia grande, as famílias e treinadores numa grande expectativa. O bacana que muitos após 12 horas de atividades físicas estão extenuados e mesmo assim pegam filhos no colo para cruzar a linha de chegada.




Chegada em família do Ironman Brasil

Deve ser muito gratificante completar esta prova, tanto ao atleta como para toda a família que o acompanhou nos muitos dias de treinamento e dietas.



Emoção com a família que completa junto a prova


O Ironmam é a Formula 1 dos seres humanos, e se você tiver a oportunidade vá a Jurerê e acompanhe estes homens de ferro. Parabéns a todos atletas e organização por este espetáculo.


Em 2014 a prova é no domingo 25 maio, com largada na praia às 7 horas da manhã.
Para maiores informações visite o site oficial: